quinta-feira, junho 19, 2008

bechechas

irritou-se comigo porque lhe disse para se despachar a comer a pápa. fez-me um arggggghhh e deu-me um tapa. instintivamente, dei-lhe um calduço, desliguei-lhe a televisão, apontei-lhe um dedo e sentenciei:
- estou zangado (estive para dizer fodido, mas lá me contive) contigo! ao pai, à mãe e aos avós, nem te atrevas a voltar a bater. agora despacha-te que temos de bazar daqui!

fui para a cozinha tratar de coisas. comi fodido com ela. apareceu-me ao colo da mãe numa espécie de durão barroso ali em bicesse com o savimbi e o présidénte dús sántus. quando lhe disseram «pede desculpa ao pai, vá...» ficou com aquele ar de «todo o peso do mundo em cima» mas manteve-se em silêncio. voltei a frisar «não te esqueças que estou mesmo zangado contigo».

foi para o quarto.

momentos depois aparece-me na casa de banho. trazia um desenho. «desculpa pai. olha este desenho para ti. és tu... tem o sol... tem aqui uma flor...»

- e estas coisas azuis na cara? é a barba filha?
- não, são as tuas bechechas?
- obrigado.
- não tornas a bater em nós, combinado?
- sim, jacaré!

deu-me um abracinho. eu continuava ali a contorcer-me com vontade de continuar o meu tratado escatológico matinal!

4 comentários:

Mãe da malta disse...

O que é isso na cabeça? Chapéu?!

Ana Rute Cavaco disse...

tás com as bochechas azuis da fúria.

Sonia&Mi disse...

e pronto, "pazes" feitas!
:D

tcl disse...

ouve lá: tu usas um bonezinho cúbico com duas lâmpadas penduradas só de manhã ou durante todo o dia?