quinta-feira, maio 27, 2010

we are the universe

a ver se nos entendemos. gostar de uma banda é gostar mesmo. é gostar do espírito da coisa. é gostar da terceira do lado b. isso de se dizer que se gosta de uma banda, não basta gostar de dois singles e usar a frase «gosto de van der graaf generator» assim, à bimbo, sem artigos nem nada.

dito isto, será ponto assente que eu não gosto dos muse. gosto de uma meia dúzia, tenho paciência para mais umas três ou quatro e depois, para as restantes, as tais terceiras dos lados b, para essas eu não fui educado musicalmente para as aturar. estão ali, no limiar do vasqueiro. já a roçar o «não consigo suportar isto».

mas logo vou vê-los com entusiamo. até porque, as tais meia dúzia que gosto muito, gosto mesmo, mesmo, muito.

mas tenho pena de uma coisa que me impressionou demais no atlântico, aquela magnífica abertura. eu já vi muitas aberturas de muitos concertos mas acho que não vi nada como esta. bem sei que pode ter sido efeito dum valente leitão e três ou quatro bjecas que estavam já no bucho mas duvido. é que foi mesmo uma valente entrada.

e tenho pena que logo, tenho a certeza, não vai haver aberturinhas como a do atlântico para ninguém. pode haver outras, mas como as do outro dia, duvido.

fica a memória.

2 comentários:

Ana Sousa disse...

Ai que inveja!!! Trocamos por ovos moles? :p

(engraçado que deste ultimo álbum, a tua descrição é perfeita!! penso exactamente o mesmo!!!)

ab disse...

Espaços diferentes. Um concerto de um festival nunca pode ser igual a um C. pequeno ou um pav. atlântico. muse rocks!